Análise: Hora Um se tornou um telejornal cansativo e forçado

Para quem acorda cedo ou dorme tarde, o Hora Um não tem nada de atrativo. É cansativo, forçado e peca demais pela informalidade.

O jornalismo nesta década adotou um tom informal. Monalisa Perrone, Thiago Oliveira e Jacqueline Brasil levam ao telespectador as principais notícias da noite, da madrugada, do esporte e da previsão do tempo.

O que tem de errado?

Quando ganhou mais uma hora, começando às 4h, o telejornal precisou de conteúdo para sustentar a sua duração. Apostou em blocos do noticiário policial, para concorrer com o extinto ”SBT Notícias”, cancelado pelo SBT.

Mesmo com uma equipe grande, com afiliadas em todo o Brasil, o telejornal das madrugadas da Globo toma rasteiras do Primeiro Impacto, agora, com o SBT iniciando os trabalhos no mesmo horário.

Gigante, o Hora Um requenta notícias do Jornal Nacional, Jornal da Globo e até material exibido na Globo News, canal de notícias do Grupo Globo. A vantagem em cima da concorrência é ter correspondentes internacionais. De resto, é cansativo, forçado, foge dos padrões de outros telejornais da emissora.

Para quem precisa dormir é um santo calmante.

Sobre Guilherme Beraldo 2743 Artigos
Guilherme Beraldo é jornalista e assina os sites 'Portal 4' e 'Aqui Tem Fofoca'. Crítico de TV, participou dos programas 'A Tarde É Sua', 'Mulheres', 'Versátil e Atual' e 'Conexão'. Siga-me no Twitter: @beraldotv