Faltam fofoqueiros de verdade e com fontes nos programas de fofoca

Guilherme Beraldo

26/06/2022 - updated: 27 jun 2022 às 18:06

Fofoqueiro TV Imagem: Reprodução

Sou de uma época em os fofoqueiros tinham fontes e davam notícias em primeira mão.

Fabíola Reipert reinventou a forma de fazer fofoca em blog. Ela foi desbravando caminhos para dezenas de jornalistas, bons e ruins.

Sou da época que comprava revistas de fofocas para saber o que estava acontecendo na vida dos famosos. Participava de comunidades no Orkut para saber novidades sobre as programações da TV.

Assistia à Sonia Abrão em sua melhor fase. Ela sempre foi muito boa de oratória. Não estou cuspindo no prato que comi, entretanto, a jornalista está rodeada de colunistas que passam mais vergonha do que informação.

Em uma época bem melhor, passei cinco horas ligando para um diretor da TV Aparecida para saber a demissão de um Padre: Alessandro Campos.

Dei a notícia no dia 24 de dezembro e caiu como uma bomba na véspera de Natal. Salguei a ceia do religioso e dos diretores que tinham acabado de contratá-lo.

O que eu quero dizer com este texto? Fazer fofoca não é tão fácil quanto parece.

Fazer fofoca é tão difícil quanto o aclamado jornalismo “ortodoxo”.

Sou apaixonado por fofoca desde criança e sempre fui atento a jornais, fofoqueiros da TV, como Nelson Rubens (que parou no tempo) e Leão Lobo (que hoje só requenta notícias dos colegas). Sempre foram referências.

FOFOQUEIRO NÃO É OFENSA!

A TV criou “fofoqueiros” espalhados pelo Brasil inteiro. Alguns são realmente muito bons: em interpretação de texto, em contar histórias, em reproduzir notas de outros colegas. Alguns, não dão nem a fonte.

Para mim, fazer fofoca é jornalismo.

É consumido por milhares de pessoas por dia. Fazer fofoca exige ética acima de tudo.

Muitos “jornalistas” ganham rios de dinheiro para ocupar o cargo de “assessor” de cantores sertanejos. Isso não é fofoca. Trata-se de informação privilegiada e paga.

Existe muita maldade no mundo da fofoca, como em qualquer área.

É preciso separar os bons dos ruins. A TV precisa mudar e chamar para frente dela quem é fofoqueiro de verdade e com fontes confiáveis.

Jornalismo na base do “chute” não é feito nem pelos que optaram pelo jornalismo esportivo.

Siga o Aqui tem Fofoca nas redes sociais:

Instagram: @aquitemfofocaoficial

Twitter: @beraldotv

Facebook: Aqui Tem Fofoca

Youtube: Aqui tem Fofoca

Guilherme Beraldo

Guilherme Beraldo é jornalista , MTB: 90925, editor chefe, SEO e criador do site 'Aqui Tem Fofoca'. Crítico de TV, participou dos programas 'A Tarde É Sua', 'Mulheres', 'Versátil e Atual' e 'Conexão'. O Aqui tem Fofoca ganhou uma nova roupagem e um novo logo, acrescentamos o ''News''. A notícia não para.