Redes sociais do Aqui Tem Fofoca
Televisão

Autora critica Record e relembra: “Me tirou da novela”

Publicado

/

(Créditos: Divulgação)

Autora da versão brasileira de “Rebelde” na Record, Margareth Boury admite que é praticamente impossível a reunião do elenco principal.

“Perto do impossível a gente reunir os seis para reviverem alguma coisa. Não consigo imaginar os homens e mulheres maduros de hoje, que aqueles jovens se tornaram, cantando ‘sou rebelde para sempre’. Posso estar enganada, não consigo ver”, afirmou a dramaturga em entrevista ao UOL.

A novela brasileira foi exibida entre 2011 e 2012 e foi lançada na esteira do sucesso da versão mexicana, que foi exibida no SBT entre 2005 e 2006. A nova turnê do RBD, prevista para meados desse ano, atiçou a especulação dos fãs da banda nacional.

+ Vídeo Show com ex-SBT, clássico no lugar de O Rei do Gado e Ana Furtado de volta à Globo: O que pode acontecer na TV

Margareth lembra que ficou assustada com a repercussão da novelinha teen, principalmente com a quantidade de fãs do quarteto musical.

Publicidade

Fique por dentro:

“Fui a muitos shows deles. O primeiro deles foi em Porto Alegre. Lembro que falei com o Ivan (Zettel, diretor) no avião: ‘Nossa, que loucura começar em Porto Alegre, a Record não tem entrada na região’. Quando a gente saiu do aeroporto, tinha uma fila de gente para o show que seria de noite. Fiquei assustada com a quantidade de gente, meninas passando mal, gritos. Foi a hora que a ficha caiu.”

Ela também revelou que exigências da Record deixaram a trama mais “puritana”. Margareth e Ivan Zettel viajaram até o México para falar com Pedro Damian, o produtor da versão mexicana, mas a emissora de Edir Macedo vetou cenas mais pesadas.

Margareth revelou que pediu para abandonar o projeto quando a Record exigiu crianças na segunda temporada de “Rebelde”.

“Me sentia muito cansada porque já estava há 3 anos nesse projeto — antes seria outra adaptação “Um gancho al corazón”. Teve influencia de Carrossel ao colocar crianças, tiveram medo. Fui ao Hiran (Silveira, então diretor de dramaturgia do canal) chorando e disse que não ia conseguir criar a versão da Alice criança, a Roberta criança… Ele foi muito legal e me tirou da novela. Não queria nem fazer a supervisão da trama, até porque teve rejeição quando coloquei RPG com vampiros no início da segunda leva de capítulos. Tive que criar uma nova temporada do nada.”

Mais sobre a trama da Record:

A autora pediu pra sair de trama da Record, Rebelde (Créditos: Divulgação)

A autora pediu pra sair de trama da Record, Rebelde (Créditos: Divulgação)

A primeira temporada fechou com 9 pontos de média e foi considerada um grande sucesso, porém a segunda foi cancelada em virtude da baixa audiência.

Recentemente, Margareth foi contratada pelo SBT para roteirizar os realities da emissora. Ela foi parar na emissora da emissora de Silvio Santos após a morte de seu pai, Reinaldo Boury, que implantou o núcleo de novelas infantis em 2012 com “Carrossel”.

Publicidade

“O (diretor Fernando) Pelégio me ligou logo depois que meu pai faleceu. Eu estava destruída porque meu pai era tudo para mim. Estava muito mal e ele me perguntou: ‘o que nós podemos fazer por você?’. Respondi: ‘Eu preciso trabalhar, estou sozinha em casa, só me lembrando do meu pai’. Além de ser uma empresa, quero deixar claro que o SBT é uma família, eles cuidam das pessoas.”